NOVEMBRO AZUL: MÊS CONTRA O CÂNCER DE PRÓSTATA

NOVEMBRO AZUL: MÊS CONTRA O CÂNCER DE PRÓSTATA

O câncer de próstata, tipo mais comum entre os homens, é a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

O que é a próstata?

É uma glândula do sistema reprodutor masculino, que pesa cerca de 20 gramas, e se assemelha a uma castanha. Ela localiza-se abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma.

Sintomas:

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Na fase avançada, os sintomas são:

  • dor óssea;
    • dores ao urinar;
    • vontade de urinar com frequência;
    • presença de sangue na urina e/ou no sêmen.

Fatores de risco:

  • histórico familiar de câncer de próstata: pai, irmão e tio;
    • raça: homens negros sofrem maior incidência deste tipo de câncer;
    • obesidade.

Prevenção e tratamento:

A única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico). Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. Outros exames poderão ser solicitados se houver suspeita de câncer de próstata, como as biópsias, que retiram fragmentos da próstata para análise, guiadas pelo ultrassom transretal.

A indicação da melhor forma de tratamento vai depender de vários aspectos, como estado de saúde atual, estadiamento da doença e expectativa de vida. Em casos de tumores de baixa agressividade há a opção da vigilância ativa, na qual periodicamente se faz um monitoramento da evolução da doença intervindo se houver progressão da mesma.

Fontes:

Agência Brasil

 


Andropausa ou Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino (DAEM)

Andropausa ou Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino(DAEM)

A andropausa, também conhecida por menopausa masculina, é a diminuição lenta da testosterona no sangue, que é o hormônio responsável por controlar o desejo sexual, a ereção, a produção de espermatozoides e a força dos músculos.

Geralmente, a andropausa surge por volta dos 50 anos e, é parecida com a menopausa na mulher, causando sintomas como redução do desejo sexual, perda de massa muscular e alteração de humor.

 

 

Como é feito o tratamento?

 

O tratamento para a andropausa geralmente é feito com a reposição hormonal para normalizar os níveis de testosterona, que se encontram diminuídos nesta fase da vida do homem.

A reposição hormonal está indicada para os homens que, além dos sintomas típicos da andropausa, como diminuição do desejo sexual e dos pelos no corpo, por exemplo, apresentam através do exame de sangue os níveis de testosterona totais abaixo de 300 mg/dl ou 6,5 mg/dl³.

 

Além disso, três e seis meses após o início do tratamento, também se deve fazer o exame de toque retal e a dosagem do PSA, que são exames que servem para diagnosticar se houve algum tipo de alteração importante na próstata provocada pelo tratamento. Se isto for verificado, o homem deve ser encaminhado para um urologista.

 

 

Quem não deve fazer reposição hormonal?

A reposição hormonal na andropausa está contraindicada em homens com câncer de mama, de próstata ou que têm membros da família próximos que desenvolveram estas doenças.

 

 

Opção de tratamento natural para andropausa

 

Uma opção de tratamento natural para andropausa é o chá de tribulus terrestris, pois esta planta medicinal aumenta os níveis de testosterona no sangue, sendo também um excelente remédio caseiro para impotência, um dos sintomas de andropausa. Uma outra solução são as cápsulas de tribulus terrestris comercializadas pelo nome de Tribulus.

 

 

TRATAMENTO NA TUPÃ

 

Temos vários tipos de tratamentos naturais aqui na Tupã, dentre eles (https://goo.gl/cXTAer)

Tribulus terrestris (https://goo.gl/WPvpCK)
Para repor a testosterona naturalmente, uma boa opção pode ser o chá de Tribulus terrestris. Bebendo de duas a três xícaras do chá por dia, o nível de testosterona no sangue aumenta, ele também auxilia na impotência sexual.

Catuaba (https://goo.gl/omLEZJ)
A catuaba é utilizada não para reposição hormonal, e sim como afrodisíaco. A árvore cresce principalmente na floresta Amazônica, e os primeiros a usufruírem das suas capacidades foram os índios Tupi.
A planta aumenta o fluxo sanguíneo na região da genitália, o que a torna mais sensível a estímulos e amplia a libido.

Marapuama (https://goo.gl/isM3Rf)
Utilizada para manter os níveis de testosterona e disfunção erétil, a Marapuama ainda está sobre estudos, em breve espera-se novas perspectivas sobre a planta.

Maca Peruana (https://goo.gl/2ZRgZX)
Não é à toa que a planta possui este nome. Desenvolve-se entre 4 e 5 mil metros de altitude, nos Andes Centrais do Peru, onde a temperatura chega a marcar cerca de 25 graus negativos. É utilizada por homens e mulheres, quando o assunto é aumento no desejo sexual e controle e prevenção da osteoporose.

Ginseng (https://goo.gl/X1LYoA)
Conhecida como Ginseng coreana, chinesa ou Ginseng asiática, muito já se ouviu falar sobre as propriedades desta erva. Os orientais acreditam que ela possui propriedades antienvelhecimento, imunológicas, estimulador mental e principalmente físico.

Além de tratamentos naturais, existem outros tipos, como selos e injeções.

Lembrando sempre que qualquer tratamento deve ter orientações médicas ou farmaceuticas.

 

 

Referência: www.tuasaude.com/andropausa


Saw Palmetto para o Câncer de Próstata!

Saw Palmetto

O Sabal é uma espécie de palmeira pequena originária do sudoeste americano e o litoral da Flórida e Texas, estendendo-se até o território da Carolina do Sul e Luisiana. Foi originalmente utilizado pelos indígenas norte-americano como antiinflamatório das vias urinárias e como tônico-sedante. O Saw Palmeto é extraído do fruto do Sabal. Sabalis é uma pequena palmeira, com altura que varia de um a três metros de altura, folhas de cor verde-azulada, com pecíolo afilado, com numerosas divisões, chegando a medir 75 comprimentos de comprimento e possui as bordas dentadas. As flores são pequenas, espessas, disposta em inflorescência paniculada de cor creme.

Os frutos são drupas redondas, de cor púrpura escura e áspera no tato, possui sabor doce, aparecendo entre os meses de setembro e janeiro no hemisfério norte. O Saw Palmeto apresenta ativos como os ácidos graxos livres estereficados (ácidos oléico, láurico e mirístico, e em maior quantidade os ácidos palmítico, capróico, caprílico e cáprico), hidrocarbonetos, alcoóis terpenicos, cicloartenol e esteróis (campesterol, beta sitosterol e estigmasterol).

Propriedades

A teoria com maior peso científico sobre a formação de uma hipertrofia benigna da próstata defende que ocorre um acúmulo de dihidrotestosterona (DHT) no tecido prostático e em menor quantidade um acúmulo de estradiol, o qual aumenta o número de receptores androgênicos (Stenger et-al 1982; Carilla et al. 1984; Gueller H. et al. 1985). O Saw Palmeto promove um efeito antiandrogênico, bloqueando os receptores para a dihidrotestosterona em nível prostático, sem modificar o equilíbrio hormonal (Muhlbauer S., 1991; Vahlennsieck W (Júnior) et al, 1993). Existem alguns estudos que também mostram efeitos inibitórios do Sabalis sobre os receptores estrogênicos, os quais acarretariam em um duplo efeito antihormonal (Elgharmri et al, 1969; Di Silvério et al, 1993).

O extrato também possui uma ação antiedematosa (Regab et al, 1984; Ole Carreras J. 1987) atuando sobre a fase vascular da inflamação (inibindo a histamina),
reduzindo a êxtase vascular e o edema sem provocar efeitos colaterais em praticamente todos os estudos realizados em duplo cego (Emili E. et al, 1983; Bocca Fochi C. et al,1985). O efeito antiandrogênico é muito útil nos casos de hiperandrogenismo, apresentando melhores resultados que a cimetidina ou o acetato de ciproterona, por não possuir efeitos colaterais. Recentemente foi confirmado o efeito antiandrogênico em ratos castrados, tratados com doses orais de 150-300mg do extrato durante 10 dias
consecutivos (Cristoni A et al, 1997).

Indicações:

Saw Palmeto é indicado na prostatite, em adenomas benignos da próstata e nas manifestações urinárias associadas, como a cistite crônica.

A Farmácia Tupã trabalha com o Saw Palmetto em extrato seco, confira: https://goo.gl/Y4SnZ7

@novembroazul @farmaciatupa @saudedohomem